sábado, 10 de agosto de 2013

que culpa tenho eu, no fim das contas, de prezar mais pelo desconhecido do que pelo que eu take for granted. que culpa tenho eu, me perguntei durante anos, sem perceber que nao havia brechas pra culpa, apenas espaços pras responsabilidades. "que culpa tenho eu?" ecoou na minha cabeça enquanto meu coração insistia em doer, em se fazer presente no meu peito, em sei lá. em bater.
que culpa tenho eu de prezar mais pelos meus desejos, ainda que desconhecidos, do que por todos os outros desejos ao meu redor? oras ,como posso eu agradar e satisfazer os desejos de alguem que nem sabe o que quer? no fim das contas, eu estou quites com todo mundo...
 mas que culpa tenho eu?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixa tua marca