terça-feira, 7 de dezembro de 2010

8 vezes você

o champagne voou em câmera lenta em direção ao solo. 5, 4, 3, 2, 1. Uma parte de mim ia junto, sabendo que eu não podia me entorpecer de álcool, só de fármacos. piiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii - estamos perdendo ela, estamos perdendo. perden... do.

ela brincou de roleta russa buscando uma montanha de mesma nacionalidade, mas cheia de emoções. eu já sabia de tudo: eu estava morta. enquanto isso ele me fazia companhia, acreditando na vida até o último momento: me ama que eu sei que você é feita de amor. e eu amava o pouco que eu podia, um dia de cada vez. ele sorria amarelo, comia minha comida, dobrava papéis comigo. aprendendo francês.

o cabelo azul ficava verde que ficava branco que ficava roxo. as mãos ficavam paradas que ficavam trêmulas que ficavam fechadas. então em uma janela, em outra faixa, você me dava um sorriso de graça. assim, por nada. e eu aceitava presente de estranhos. ele fez música, eu fiz amor com os olhos - lisérgico, a pós modernidade dá conta de tudo. e ele fez o que eu fazia de melhor, na minha frente. faz parte do meu show...

o outono veio e foi, com as cores se misturando no ceu, com os gostos se misturando na boca, com os gostares se misturando no peito. nada a fazer nada a fazer nada a fazer e milhares de coisas a serem feitas. eu definitivamente tinha sorte no jogo. com 315 reais no bolso, um empréstimo de 420 reais e um outro de 300 fiz as malas pro peru. elas me fizeram companhia, acreditando na vida até o último momento. eu fazia o que eu sabia fazer de melhor: ser uma estrela cadente, atravessando uma noite inteira num brilho meteórico e sumindo pela manhã, pela tangente do horizonte, viajando o resto do universo enquanto acreditavam que eu tinha me apagado. nos encontramos em outro planeta, em outra vida - como eu sempre mencionei. se what comes around goes around então meu amor foi um modelo.

você me deu um sorriso de graça,  eu te fiz um desenho. bariloche, buenos aires. meu quarto e uma pilha de papéis. florida e santa fé. sorriso e corações de jujubas em todo o lugar. antes que o ano terminasse você estourou os fogos de artifício: feliz vida nova! a primavera veio, minha vida nova também. você ficou. do outro lado do canal. mas eu lembrei de você com amor, com desejos de todos os sorrisos que você me deu. what comes around goes around, baby. i assume you deserve the best, and so does the karma.

Um comentário:

  1. existem momentos que "vivem" para sempre....esses merecem ser comemorados com champagne!

    ResponderExcluir

deixa tua marca