domingo, 1 de agosto de 2010

sinal verde

de repente eu tive medo, inexplicável. Devia ser o álcool ainda no meu corpo me deixando tensa. O que acontece depois de sábado? O que acontece em agosto? O último mês, os trabalhos. Estou pela primeira vez correndo atrás de dinheiro. Parece que o relógio faz piada de mim: você não vai dormir mais de 7 horas diárias, voce não pode parar um segundo sequer. Sinto então o corpo congelar de dentro pra fora, do que me sobrou de coração pro que me resta de corpo. Posso dizer? Eu queria sentir falta do tempo em que não havia nada a ser feito, mas não vou me lamentar pelo tempo em que há tudo a se fazer. Pelos meus amigos, meus trabalhos e tudo que negligenciei há quase um ano e por um ano inteiro - me arrependo como sinal do mais genuíno crescimento: errei, posso consertar e vou consertar. As luzes se apagam, piscam, brilham, estão loucas. Eu danço na festa de despedida do mês, eu canto uma dúzia de músicas do aerosmith, eu ainda sou parte do que fui. Sorrio, voce também. Só tive medo que as coisas voltassem a ser como eram mas no fim das contas eu sei: estamos a gosto de Deus.

Um comentário:

  1. Esses sinais de crescimento são a melhor e mais confiável luz de esperança no fim do túnel.

    ResponderExcluir

deixa tua marca