domingo, 22 de agosto de 2010

filosoficamente falando

ela arrumava as malas, ele escrevia mais algumas linhas. as cataratas do iguaçu eram o cenário de mais um plano. ele comprava as passagens, ela entrava em órbita. ele tinha um gato preto, ela era cheia de sorte. ele fazia luz com os dedos, ela brincava com as faíscas. ela fazia música cheias de defeitos, ele criava defeitos cheios de música. ela o desenhava em pequenos detalhes, ele a fotografava enquanto ela criava um mundo. ela mudou de cabelo outra vez, ele adicionou um recorte no seu casaco jeans. ela tomou uma dose de whisky sem gelo como nao fazia há muito tempo, ele tomou uma garrafa de cidra.

ah, a pos-modernidade.

Um comentário:

  1. e combinavam perfeitamente como musica...
    Um com seu jeito fraco e bonito, e o outro forte e chato.

    Gostei...

    Troquei de blog, te seguia no outro agora tbm te sigo aqui :)

    Beijinhos

    fica cm Deus

    Ótima semana.

    ResponderExcluir

deixa tua marca