sábado, 31 de julho de 2010

que importa, amor
as festas acabam
os livros são devorados pelas traças
o frio é implacável
e as flores insistem em nascer
pre-maturas,
mas não menos bonitas.

que importa, amor
as roupas mudam
as maquiagens são fúteis
eu me acostumo ao frio
e meu amor insiste em crescer
juvenil
mas não menos maduro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixa tua marca