sexta-feira, 16 de julho de 2010

quase

ela voltou mais cedo pra casa pensando nas pílulas em cima da escrivaninha que deixara pra trás, alguém lhe perguntou se estava bem, ela obviamente desabou sem motivos aparentes. o carro azul destruído na traseira de um ônibus fez seu coração parar pela primeira vez na vida., o telefone estava mudo. não há tragédia insuperável e não há páginas em branco de futuro, talvez as tintas de algumas canetas acabem mais cedo. Às vezes a gente só precisa recarregar as baterias.

ela teve certeza que Deus a perdoaria pela coragem excessiva. E teve mais certeza ainda que ele lhe daria uma outra chance...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixa tua marca