quinta-feira, 29 de abril de 2010

bad time

quando o sangue escorre pelas pernas
e eu ouço tua voz muda em sussurros que saem dos teus olhos de vidro
enquanto tua boca bem desenhada permanece estática
o calor que corre em minhas veias redesenha meus batimentos cardíacos
responde a todos os questionamentos metafísicos
com o impulso de um toque ou dois teus e é assim
é assim que eu sei que há mais vida em todos os meus suspiros
do que na morte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixa tua marca