terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

passa passa passa

passa da meia noite
e eu nao passo da inercia
não tenho mais roupas passadas
nem agenda nem promessas
tem gente que fica passada

e tem gente que prefere bem passado
eu prefiro passageiro
passado a limpo e ao ponto
no tira gosto um conto inteiro
recheado e transbordando de passado.

qualquer inspiração não deve ser ignorada e sim cuspida no papel antes que o primeiro refrescar do verão infernal leve o modernismo embora...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixa tua marca