terça-feira, 8 de dezembro de 2009

18 horas

"...o sino descompassou, as horas iam longínquas. ela deixara sua casa sob as luzinhas de natal piscando intermitentes ao meio-dia. isso deveria significar alguma coisa. não importava quão alto despontasse no céu o sol de brasília naquele momento, o fim (do dia) chegava surfando nos ponteiros do relógio.

voltar ao normal, alguém disse. ela sorriu longamente, pensando em como voltar a um lugar em que nunca esteve..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixa tua marca