segunda-feira, 26 de outubro de 2009

azul


deixo as palavras escaparem entre as linhas, os dedos enfraquecem mais que nunca, o futuro é agora, meu bem. a roupa já não cabe, a maquiagem já não cabe, a vida já não cabe - é tudo metalinguagem, eu e eu.

a tristeza é paradoxal: é agora e ontem, é fome e falta de apetite, é desejo e falta de vontade - o elevador sobe, mas também desce. e é tudo mecânico, mesmo a descida... e eu que sempre gostei da intensidade das cores não poderia deixar de idolatrar o blues.
certas coisas a gente só aprende com a idade.

3 comentários:

  1. cara! pqp! seu blog é sempre lisérgico! e nada com um blues, gaita, um violão de 12 e uma voz rouca

    ResponderExcluir
  2. É verdade... "Certas coisas
    a gente só aprende com a idade"!

    Tenho aprendido tanto!

    ResponderExcluir
  3. A idade aumenta a cada dia. Ontem, hoje, amanhã. E depois, não. É, não gosto de blues. Nem de azul.

    ResponderExcluir

deixa tua marca