quarta-feira, 1 de julho de 2009

booooooooooom


por vezes sentia tanta raiva das pessoas que partiria em dois qualquer um que cruzasse seu caminho. i don't give a fuck, ela dizia entre os dentes cerrados, com os punhos latejando, fechados. e então sentia que tinha tanta energia que poderia explodir e causar uma ecatombe nuclear, destruindo tudo que a rodeava de uma vez só. nenhum sobrevivente. nesses momentos sentava-se em um lguar qualquer, isolado, e colocava o mundo inteiro na palma de sua mão para que não o esmagasse com os pés descalços. pediu então para que ele não tocasse nada, nem no assunto e nem nela: eu sou volatil e posso explodir a qualquer momento. e ele estava suposto a saber isso. mas sempre ignorou as placas de aviso.
i hate you all, foi a última coisa que pensou antes de dormir e a primeira ao acordar. e deu um grande soco no travesseiro na falta de um rosto qualquer.

Um comentário:

  1. antes um travesseiro socado do q uma boca banguela paksposkas..
    mas as pessoas explodem mesmo..
    e controlar esse sentimento é uma crueldade...

    bom retornar aqui . . .
    ufff...
    e enfim atualizei o..
    www.bocadekabide.blogspot.com
    espero-t lá...como sempre...
    no sentido de tempo viow xD~
    fuie..abraços e ótima sexta!

    ResponderExcluir

deixa tua marca