sábado, 6 de junho de 2009


uma cabeça-dura, rainha dos planos infalíveis
enquanto o mundo gira dentro de um quarto
você fica tão paranóico quando vê sua sombra
um passo em falso e tudo se desmancha

até que você volte pra visitar sua alma outra vez
nós seremos os piores dos melhores amigos
não parece natal sempre que as luzes piscam?
não parece que nunca poderemos chamar esse lugar de casa?

sorrisos que desperdiçam alegria
mal me sustento em seus braços ou em minhas pernas
procurando uma saída de emergência
ou uma entrada qualquer

até que voce possa dormir outra vez
ou até que as cortinas se fechem
não parece ano novo quando ouvimos explosões?
não parece que nunca poderíamos nos desfazer?

queimando, meu bem, dentro de todos os limites
um coração enjaulado e cheio de desejos
te darei quantas mentiras forem necessárias
pra que sejamos à prova de balas

to lose you is to never love again

3 comentários:

  1. Poesia é uma área que deveria usar e abusar mais vezes.

    ;*

    ResponderExcluir
  2. "te darei quantas mentiras forem necessárias
    pra que sejamos à prova de balas"

    Mentiras são mais frágeis do que paçoca. Hehehehe

    ResponderExcluir
  3. Bom mesmo é não esquecer das entradas ou saídas.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir

deixa tua marca