segunda-feira, 15 de junho de 2009

mangas


teu fantasma hoje não vale mais que a pinga especial
paga com os últimos tostões de uma semana inteira
a parapsicologia já não é mais atraente
depois de alguns meses de (cons)ciência

a voce, toquei antes da tua pele, tua alma
a ele beijei a boca como se quisesse engolir o coração
ao outro não dei chance alguma de ser algo novo:
mesmo substantivo, próprio, mesmos adjetivos. gramatical.

não quis ler-lhe os olhos, os gestos, as palavras não-ditas:
'tenho um medo dos diabos desse tipo de amor,
que chega devagarinho, pequeno... e cresce mais rápido que erva daninha.'

embora as mesmas letras se combinem da mesma forma
nem toda manga é de comer:
eu gosto mesmo é do gosto de memória, que não amarrota mais - passado!
a fruta muda, as raízes são as mesmas.

Um comentário:

  1. É,é de ter medo mesmo desses amores que começam silenciooosos...

    Frutas,raízes... ixi!

    ResponderExcluir

deixa tua marca