segunda-feira, 4 de maio de 2009

um

nem viu o pôr-do-sol que seria o último, nem deu o beijo de despedida. hesitou, mas era definitivo mesmo que durasse um minuto ou dois.

(vida, louca vida miserável brincando nos dedos da menina que tem o dom de estragar tudo ao alcance de seu toque. essa vida é miserável demais para que seja vivida dia após dia, deixa que eu vivo o sempre em um único instante: aquele em que eu fechar os olhos eternamente.)

Um comentário:

  1. hehe... gostei da surpresa escondida em letras cor de fundo profundo.

    ResponderExcluir

deixa tua marca