terça-feira, 12 de maio de 2009

sweet emotion

ele pediu um tempo. ela deu uma vida toda. lembrou daqueles dias quentes, estranhos, cinzas. monótonos. o tempo escorria infinitamente em câmera lenta por suas mãos fracas demais até para prender a mão de outro alguém. encontrou um sentimento largado em um banco de praça, silencioso; mas (se) perdeu em palavras. "sinto falta da dor" ela sussurrou antes que seus lábios encontrassem as maçãs mais doces que ela já provara - as do rosto dele. "sinto falta de você" ela completou em alto e bom som.

***

"voce tem medo de altura?" ele perguntou enquanto observava a boca pequena ficar menor ainda no rosto infantil dela.

"gosto da beira do abismo, do horizonte infinito. então se eu gostar da dor, como posso ter medo da altura? gosto de doer porque só sei viver assim, no limite do excesso. (...) acho que gosto de você." ela forçou as palavras pelo espaço que ainda havia em sua boca apertada pelo medo.

***

"e eu sinto falta do que nunca seremos, mas que somos eternamente na tua imaginação. coisa que eu vejo nos teus olhos, que ouço nas tuas risadas compassivas, que sinto no teu toque de resignação. mas eu quero ficar." ele disse enquanto fazia menção de ir.

"então fica" ela o abraçou forte esperando guardar um pedacinho dele consigo. "mas eu, eu preciso ir".

2 comentários:

deixa tua marca