segunda-feira, 18 de maio de 2009

esquinas

Ouvi tua voz de longe, meu coração já tinha parado há muito tempo, na verdade. (silêncio) você então me recolheu - ou o que sobrou de mim, será? - nos braços fracamente, desmanchei de novo. sabendo que era não era ser, sabendo demais. minha maior dor. (suspiro) você falhará miseravelmente, os astros diriam. eu diria que eles não sabem de nada, que eu sou maníaca e que quando a lua enche eu posso tudo. Como uma bala perdida a lembrança me atingiu, irresistível, inevitável: teu último beijo, terno, diria que até paternal, porque não? teu último beijo recaindo sobre minha pele maltratada, queimando como uma brasa no meu cérebro fervendo de idéias, sob o sol mais brilhante que já se viu. e eu então conclui que não queria mais te ver. desejo vil, claro. desejo ignorante, mais óbvio ainda, já que te via sempre diante de meus olhos secos, vermelhos. não olhei pra trás desde aquele dia.

e então ouvi tua voz de longe. e vi o mais branco dos teus sorrisos.

2 comentários:

  1. ai, não, últimos beijos me deixam tão triste....=/

    rs*

    beijos, querida e boa semana

    MM.

    >>> perdi toooooooodas as minhas imagens e por isso gostaria de pedir, se não for muito incomodo, que me mande os selinhos que me ofertou, flor! monicamontone@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  2. O próprio sentido bruto da palavra "Partir" já diz tudo: Ir Embora, Dividir em dois... Separar, Tornar o Uno um Duo...


    Um abraço e estou sempre por aqui!!

    Lê Nunes_____________________________
    http://tortoporlinhascertas.blogspot.com/

    ResponderExcluir

deixa tua marca