terça-feira, 26 de maio de 2009

começo


gosto de músicas, de cores. gosto de pessoas, que são músicas e cores, tudo junto. me apaixono a cada esquina, eu diria, antes que voce pudesse logicamente constatar que estamos em brasília. diriam que sou genial e geniosa, mas voce diria que eu sou só uma garota transtornada que não sabe de nada, destinada a viver na sombra das mulheres altas e intelectuais que conhecem como ninguém todas as palavras, mas que não conseguem conectá-las com um mínimo de sentimento. e ainda diria que eu sou uma bêbada que fala palavrão demais.

falo demais, de fato. mas há algo mais intenso, mais emocional que um palavrão? é o que sou, à flor da pele. mas o outono chegou e eu estou seca, amarga. sazonal.

onde houver palavras, acredito que haverá infinitas interpretações, infinitas possibilidades de mal-entendidos. e eu sou a senhora das palavras escritas, que são aquelas que ficam gravadas como marca de brasa. deixo aberta todas as minhas entrelinhas, minhas feridas, e você só quer seguir caminhos de silêncio, de solidão sem palavras. sem cicatrizes.

absolutamente não gosto do que sou hoje. gosto do que fui, mas não gostava à época. tão humano. e pelo passado, ironicamente, vislumbro o futuro: e é vazio. quem foi que disse que premonição era uma bênção? foi um tolo.

desaprendi a amar, eu diria. e voce não falaria nada.
hoje constatei que falo 4 idiomas: o português, o inglês, o espanhol e essa linguagem de sentimentos loucos e amorfos toda que é quase uma dança. mas não fluentemente, acho.

2 comentários:

  1. Caramba, flor!
    Como foi prazeroso ler você hoje.

    "gosto de músicas, de cores. gosto de pessoas, que são músicas e cores, tudo junto. me apaixono a cada esquina, eu diria.."

    Desde o ínicio.. =)

    ResponderExcluir

deixa tua marca