segunda-feira, 11 de maio de 2009

chega


chega de chegar, de beber da minha angustia, de provar da minha sensibilidade, de pular corda com a linha dos meus limites. reitero que te quero - longe daqui, longe de mim, longe de longe. chega de me tirar palavras, chega de me deixar sem graça, chega de me tirar de sala, chega de me tirar a atenção. chega hora que nem eu mais chego pra mim.

coloquei então teu destino e tua vida inteira nas duas faces da moeda, sem saber que a moeda era boa, mas a jogadora, viciada.

Um comentário:

  1. Profundo o q vc escreve.. adoreii!
    Algum tempo atrás me encaixei um pouco nisso.

    ResponderExcluir

deixa tua marca