quarta-feira, 20 de maio de 2009

carta para alguém de quem tenho saudades 2

peça respostas, peça amor, peça as contas. mas não me peça certeza.

"fazia duas semanas que eu não pregava decentemente os olhos, que eu não o tirava do pensamento por sequer um dia. lembro da roupa que eu (não) vestia aquela noite em que eu não queria sair de casa, lembro da não-lembrança daquele mês. lembro de sorrir uma última vez e antes que eu pudesse tomar o último gole do meu veredito, você me tomou de assalto em seus braços. era então o maior engano de minha vida - e com gosto de saliva. o golpe de misericórdia, como eu sempre gostei de chamar. desde então eram contados nos dedos os dias em que não houve álcool fervendo em minhas veias ou em minhas idéias, os dias em que não cometi alguma extravagância ou comprei alguma briga, até que encontrei ele. e, no esforço final, abri bem a janela pra que ele pudesse entrar junto com a luz do sol. mas não era a manhã, era só uma estrela cadente. então desejei sobriedade, lucidez, entorpecimento. e tive. desejei nunca ter te conhecido. e pra minha surpresa, também tive. estava a milhas do que fomos algum dia.

"mensurando os dias de verão
apenas concluo que eles se tornaram cinzas
as horas me trazem dor
(...)
pensando em como tudo era
você ainda lembra daqueles tempos
e pensa em nós de novo?

eu lembro."

agora meus olhos fugiam sempre dos teus: olha nos meus olhos, voce diria se fosse de falar - mas nunca foi, fato. nunca será. eu, monossilabicamente, diria que não. você diria: o problema sou eu, e eu não falaria nada, mesmo sabendo que nunca mais olharia em teus olhos de novo enquanto neles ainda habitasse o meu reflexo. (...)

o que permanece não escrito não é necessariamente o que eu nunca quis que tu soubesses, apenas o que desejei que tu inferisses. em vão, eu acho.
Brasília, maio de 2009."

Um comentário:

  1. Oi, escritora, vc vai entrar na minha lista de entrevistados, sim!
    O projeto piloto precisará de poucos entrevistados, mas na memória eu tenho q colocar uns 100 blogueiros. Vc estará lá.
    Se alguma rádio botar fé no meu projeto, um dia ainda te entrevisto.
    Abçs ;)

    ResponderExcluir

deixa tua marca