sábado, 11 de abril de 2009

mais azul


perdi as contas de quantos amores ela já teve, entre os verões e as primaveras, entre os outonos e os invernos, entre os mal -resolvidos e os piores ainda. de todos os tipos, de todos os sabores - ela achava que já havia provado de tudo. naqueles dias concluira que já não era tão amarga, concluira que os cafezinhos requentados que servia a ele haviam dado a ele um novo paladar, com um que de simplicidade, de 'estou satisfeito' mesmo não tendo bebido tudo que havia dentro daquela garrafinha colorida que ele não sabia nomear de tantas cores que tinha - logo ele, que sempre enxergara em preto e branco fora tomado como de assalto por aquela menininha dos longos cabelos coloridos demais.

'se voce olhar pro alto, vai ver que o céu é azul. posso te contar um segredo?' ela sussurrou enquanto ninguem estava por perto pra ele.

ele fez sua cara de interrogação.

'nem sempre foi assim.'

Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixa tua marca