sábado, 14 de março de 2009

goles

ela gostava de deixar com cada um que conhecia um pedaço de si, na esperança de que um dia não houvesse mais nada para ser partido.

naquela noite ela quis se embriagar, mas foi ele quem encheu a meia-taça de seu sutiã de cerveja e vinho barato. e não pediu licença pra tomar o primeiro gole. era a última noite de suas vidas, a primeira da eternidade: pela manhã eles eram apenas memórias nos olhos daquela noite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixa tua marca