quarta-feira, 11 de março de 2009

a-Deus


'... e tem alguém aí? - ela acrescentou às suas preces noturnas. o silêncio reinou por infinitos minutos.recomeçou suas orações pedindo um pouco menos de sensibilidade, um pouco menos de lirismo. 'estou seguindo um caminho sem volta, eu sinto. em queda livre, meu Deus. creio que assim como para alguns apenas o céu é o limite, para mim apenas o solo o é. mas eu pergunto se tem alguém aí, às vezes acho que não' e continuou parada em frente ao espelho, o quarto escuro, impotente. antes que pudesse cair um pouco mais, esperou a resposta por mais alguns minutos. nada lhe (s)ocorreu. deitou-se outra vez, a cama dura, a insônia implacável:

eu acho que sou surda...'


Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixa tua marca