terça-feira, 10 de março de 2009

com-paixão

'acabou? sim, acabou e eu estou apagando as velas.
pare pra pensar: como voce se sente sendo o único que me apunhala pela frente?' Hole in my soul, aerosmith.

se afogou em jujubas a tarde inteira, revisitou as páginas dos seus velhos amores. viu a palavra recomeço estampada na janela ao lado do retrato da garota de longos cabelos ondulados e vermelhos que sustentava um sorriso de quem acabara de passar no vestibular e encontrou o amor da sua vida. bebeu mais um gole do capuccino que agora já nem queimava mais sua língua ferina. que queimasse, ela já tinha se queimado o suficiente pra não sentir mais nada.


no telejornal a crise econômica, no seu diário a crise-crise. ela se sentiu mesquinha demais por uns 20 minutos, mas aquele apertinho no peito, aquele vaziozinho lhe disse que estava tudo bem em tomar um antiácido pra digerir a decisão tomada com tanta gula e repousar na sua cama constantemente desfeita. 'você é sensível demais pras contas de luz e água. se eu pudesse te colocava numa bolha onde você só se preocuparia em amar o mundo inteiro de uma vez, em tirar um dia de folga no meio do caos pra deitar na grama seca do parque da cidade. ninguém disse que a vida era justa, menininha.' talvez ela se preocupasse demais com as coisas erradas. talvez ela amasse demais as coisas erradas.


por um instante viu sua foto ao lado dele. com 17 anos. o óculos escuro na época era seu companheiro constante de todas as festas e shows. o batom rosa. o cabelo descuidadamente bem-cuidado. lembrou da palavra recomeço amargamente. e sabia que era só mais um ano na vida de alguém que vivera quase mais de 20.


'voce é muito infantil. voce pode apagar meu telefone, minhas mensagens, nossas fotos. mas por acaso voce não sabe que voce nao pode apagar a minha memoria? por acaso voce nao sabe que eu estou em cada música que voce me escreveu, em cada gramado que deitamos, em cada noite barulhenta ou silenciosa, em cada livro, em cada gole de bebida que derramei em seu corpo? nos seus sonhos. e é por isso que voce não dorme. mas eu logo vou estar nas suas insônias também. e mesmo no dia em que eu não estiver em mais nada disso, me diz se eu não te machuquei o suficiente pra estar nas suas cicatrizes.'


ela silenciou. 'antes fosse o recomeço, mas não teve começo ou fim. antes fosse a cicatriz, mas voce foi o golpe de misericórdia.'

Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixa tua marca