terça-feira, 3 de março de 2009

chuva de verão

'e voce, meu bem, onde fica nisso tudo?' o homem bebado tagalerava sobre mitologia, psicanálise e preconceitos, elogiou meu cabelo. onde voce fica? - eu nao fazia a minima ideia, mas senti que não podia ser ali, eu só tinha - sim, a máxima - 18 anos. grandes merda, pensei.

entao só quis seguir minha vida por mais uma noite: o cheiro de cigarro me despertou saudades de novo dos olhos castanhos cobertos pelo cabelo bagunçado, dos gramados desertos da universidade, de taguatinga. eu estava tão seca quanto o chão infértil dessa cidade e só queria que ele caísse sobre mim como uma chuva de verão.

voltei pra casa, me joguei no sofá. estava com a glicose no chão, mas não tão baixa quanto minha auto-estima. trim trim trim. e a chuva veio, mas com barulho de telefone.

2 comentários:

  1. eu já cheguei a acreditar que papos passim altamente existenciais pudessem impressionar uma garota... com o tempo a gente aprende...rs

    ResponderExcluir

deixa tua marca