sábado, 7 de fevereiro de 2009

thank you

'se o sol se recusasse a brilhar
eu ainda amaria você (...)

caro homem, eu te dou meu tudo
caro homem, nada mais' Thank you, Led Zeppelin.

ela fechou os olhos na esperança de que ele desaparecesse, naquela noite era sua brincadeira preferida. mas concluiu que ele ainda estava lá, permanecendo. ela tomou um fôlego e o viu também fechar os olhos. nem quis tocá-lo, não queria acordá-lo.

ela olhou para ele ali do seu lado, de novo. sentiu que lhe faltou chão, lhe faltou claridade, lhe faltou ar, lhe faltou ritmo no coração por 2 longos segundos. e constatou que tudo lhe faltou outra vez por mais pelo menos 2 segundos quando percebeu os grandes e velhos conhecidos olhos castanhos conectados aos seus olhos miúdos e sem maquiagem por um olhar furtivo. ela queria dizer milhares de coisas de uma vez só, com mais urgência que costumeiramente, só que dessa vez sem encontrar palavra alguma de sua autoria.
ele ainda a penetrava no olhar, os quatro estavam a dois no meio de uma multidão e de uma neblina tóxica que a deixava tonta, mas ela não estava certa se era a neblina ou ele que ela respirava e a fazia falhar na tentativa de permanecer sóbria de si. a garota tentou em vão libertar seus olhos, o corpo o ignorava mas os olhos ficavam estáticos, amarrados pelo olhar dele. ela pensou que cometia um grande erro. mas ainda sentiu esperança.

'yes there are two paths you can go by but in the long road there's still time to change the road you're on' ela deixou escapar entre os lábios entreabertos e trêmulos uma de suas frases favoritas, ainda sentiu esperança.

ele respondeu com um grande sorriso que a fazia lembrar de quando eles eram novos e inconscientes de quanta vulnerabilidade havia ali, eles estavam envelhecendo séculos em dias. e ele a abraçou por um momento que para ela deve ter sido longo como um desses séculos, mas na verdade curto como um segundo. ela o viu se afastar, mas não sabia se era ela ou ele quem estava de fato se movendo.

'voce sempre vai ser uma inspiração.' ela murmurou tão baixinho que sentiu as palavras ricochetearem no céu de sua boca. e isso a fez abrir um sorriso.


livin', lovin', he's just a boy.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixa tua marca