domingo, 25 de janeiro de 2009

copyright.



'ei, eu tenho aqui tudo o que te faz feliz!' ele mostrou a mão cheia de coisas. 'vejamos... o marquês (de sade), oscar (wilde) e a viagem (de julio verne).' ele parecia um velho conhecido de cada autor, e talvez fosse mesmo. 'ah, e doces!' ele apontou pras jujubas, mas devia ser a única coisa que ela viu ali. 'e isso aqui...' ele mostrou a cartelinha.


ela ficou feliz por uns instantes, sabia que precisava se perder pra se encontrar, pois, oras , não seria possível se perder mais do que já estava (talvez fosse, mas ela queria experimentar).


ela o abraçou, ainda andaria algumas quadras escuras por aí com seus melhores sapatos, aqueles mesmos, a sapatilha acetinada de oncinha - que pecado! 'obrigada' ela falou ainda no abraço. 'voce é meu melhor amigo, eu te amo... litros!'


ele riu do jeito como ela o amava, pois se fossem tantos litros como as lágrimas dela, ele morreria afogado. 'haha eu te amo litros tambem. te amo horrores!'


eles desfizeram o abraço e ela o olhou sem que ele percebesse. e sem que ele percebesse também ela se sentiu orgulhosa: ele era o irmão mais novo que ela escolhera.


enquanto se afastava ela disse bem baixinho 'voce cresceu tanto, mas sempre vai ser meu pequeno grande amigo. sempre.'
sobre alguem que agora é irmã do meio

2 comentários:

  1. preto branco e cinzas... milhões deles...
    =)
    mas eu acho q pode ser bom... e mto humano... bom pra nós q não somos atrizes da globo... mas somos (mais)legais, né? personagens esféricas

    ResponderExcluir
  2. Hmmm..
    acho que poderia encaixá-lo a um certo fato...

    será?

    =)

    ResponderExcluir

deixa tua marca