sábado, 3 de janeiro de 2009

chuva de verão.


era um dia quente, fazia sol. era duas da tarde quando ela acordou. de pijama ainda ligou o radio bem alto ao ouvir os rolling stones cantando brown sugar e começou a correr dançando pela casa, como sempre fazia quando tinha a sonhada casa vazia.

correu pela casa por horas, até perceber que o dia havia escurecido pela metade. tomou assento na varanda e percebeu que, dividindo o céu ao meio com uma linha exata, havia uma grande nuvem cinza que varria a limpeza do dia de verão. ela esperou um pouco e acompanhou com o olhar a trajetoria da nuvem, que dominava o céu antes claro.

'hm... não dá pra ver mais nada. fora o inverno e o tempo ruim, eu não sei o que espera por mim, sábio matanza...'

e sentiu o vento forte tentnando despi-la. contemplou mais o silencio da cidade em feriado, a chuva que se precipitava. chuva de verão. ela adorava chuvas de verão, eram como um alívio. mas odiava dias nublados e cinzas, eram tão entediantes e previsiveis! as chuvas de verão eram como festas surpresa.

e a primeira gota de chuva caiu bem no seu nariz. pling. 'nossa! eu tô viva.' ela concluiu, mas nao tristemente. mais gotas cairam, começando a encharcá-la. 'eu sobrevivi!!!' e riu.

riu como se tivesse passado por uma longa estiagem. e realmente, tinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixa tua marca