segunda-feira, 10 de novembro de 2008

mentir é preciso

...pena que eu tenha desaprendido.


era uma coisa boba, uma pergunta banal. mas por algum motivo naquele instante a pergunta não lhe era muito conveniente... talvez por causa do seu mau humor, por causa do dia que estava tendo ou apenas por causa do assunto desagradável.


'deixa eu te fazer uma pergunta?' a mulher reapareceu de uma porta.


'faça!' ela se virava para ela, saindo de suas atribuições. talvez fosse uma pergunta sobre psicologia, ela pensou. e não estava errada.


'voce... voce já ficou com ele?' a mulher parecia realmente curiosa.


'?' ela se fazia de desententida, ou talvez aquela pergunta tenha lhe atordoado um pouco no momento, fazia tempos que ela não ouvia seu nome pronunciado daquela maneira. era estranho, eles ainda existiam na imaginação de alguéns. 'com quem?' talvez ela só quisesse ouvir o nome dele outra vez, saber que ele aidna existia em algum lugar.


'com ele... o ____________.' a mulhe r agora encostava na parede, conhecia ela demais memso que em tao pouco tempo.


'ahhh...' ela agora lembrava das visitas dele, lembrava que tinha vencido ele, lembrava que tinha lhe rasgado um rascunho de coração junto com uma proposta de namoro. 'já... porque?' ela queria parecer despreocupada, inatingivel. mas ela ainda era humana.


'não, é que a gente perguntou e ele negou. na verdade ele nunca confirmou, negar mesmo nunca negou...' ela agora parecia querer se redimir.


'hm.. fiquei com ele sim, mas não é uma coisa da qual me orgulho. na verdade não foi das melhores... e ainda me custou muito caro.' ela agora parecia entender onde aquilo tiha a levado pela primeira vez. ela devia ter negado... mas não se nega intimidade.


e ainad que ela soubesse que ele a amou, mesmo que ela soubesse que ele a queria mais que qualquer outra naquele momento, mesmo que ele soubesse que ela o salvaria (e talvez por isso), ele nunca segurou a sua mão.


mas não se nega intimidade.


e apesar de estar tão envolvida nas pesquisas básicas, começava a entender o só depois da psicanálise...




Um comentário:

  1. "..mesmo que ele soubesse que ela o salvaria (e talvez por isso), ele nunca segurou a sua mão."

    eu já vi esse filme antes,
    e o final é bonito e triste...

    ResponderExcluir

deixa tua marca