quarta-feira, 22 de outubro de 2008

'obrigada pelas memórias...

...mesmo que elas não sejam tão boas.'


ela procurava registros: camisas, latas vazias, maços de cigarro, notas fiscais, endereços, telefones, telefonemas, velhas mensagens, ligações, diários, desenhos, fotos e desculpas. mas nada disso trazia ele de volta como o cheiro nauseante do cigarro e um passeio em um ônibus que anda em círculos. e enquanto isso ela escrevia em um caderno...

"porque o vazio que deixa é o que me completa
como a presença nunca pode me completar
mas a incerteza de ter era bem mais certa
mesmo que hoje não possa mais duvidar
(...)
porque metade de mim é vazio e a outra
tudo."

de alguma maneira, mesmo incompleto, o poema tinha fim.

sobre poesias e metades.

Um comentário:

  1. "porque o vazio que deixa é o que me completa"(...)

    Lindo. Sensivel. Genial.

    te adoro cada dia mais.

    beijos meus pra "Usted"
    ;*

    ResponderExcluir

deixa tua marca