domingo, 7 de setembro de 2008

out.

o amor me parece uma tendência de moda: vai e volta. às vezes a moda é estar em preto e branco, às vezes, é o carmim. eu já nem sei, nunca me ative a tendências de moda, eu sempre fiz minha própria tendência. hoje eu resolvi que me cansei de muita coisa.

***

'olha, eu não posso com isso... vai e vem, inda e vinda... acontece tudo rápido demais, é instável demais, descontrolado. e isso me assusta, voce sabe que assusta.' ela agora estava ali, exposta.

'voce quer que eu mude? pode falar, qualquer coisa. eu mudo!' ele respondia, mudar pra ele era banal mas impossível.

'não quero. eu gosto de voce assim: volátil, volúvel, imprevisível. rápido demais, intenso demais. como tomar uma garrafa de café sem açúcar de uma única vez' ela agora se desfazia.

'hm, ok.' ele pareceu concordar.

'sabia que eu passei mal porque tomei café demais?' ela comentou parecendo não ter nexo.

'eu gosto de café.' ele disse,.

'eu tambem...'

***
mas era platônico o desenrolar da situação, era surreal, era irreal: dias sim, dias não. amor sim, amor não. prazer e dor andavam tão entrelaçados que ela começava a ver o rosto de um em outro e já entendia porque precisava ir sem olhar pra trás. nada mudaria. nada.

2 comentários:

  1. jovem
    me admira esse seu frenesi literário
    eu gosto
    vc passa bem?

    ResponderExcluir
  2. "(...)rápido demais, intenso demais como tomar uma garrafa de café sem açúcar de uma única vez(...)"

    Ai ai, sei não viu moça!

    Escreves como se já tivesse vivido três vidas...adoro!
    ;D

    beijos, ju!

    ResponderExcluir

deixa tua marca