quarta-feira, 20 de agosto de 2008

porque ela é uma andarilha.

'não sou nada além de um vagabundo, um errante nessa vida. e quem de vós sois outra coisa?' Os Sofrimentos do Jovem Werther, de Göethe.





...’me conta... pra onde a gente vai depois que morre?’ – ele quebrou o silêncio.


‘eu... eu não sei,’ – ela respondeu com a voz quase surda, desconcertada.


‘então me conta uma coisa, qualquer coisa que eu não saiba. ’ – ele pediu como quem pede um remédio.


‘uma coisa que você não saiba... bem, vou-lhe contar uma coisa que ninguém sabe: meu coração é um diamante. Você conhece os diamantes? Os diamantes são constituídos da mesma matéria que o grafite, só que sua estrutura passou por um longo processo que o tornou muito endurecido ao longo dos anos. Meu coração é um diamante... e você sabia que os diamantes só são riscados por outros diamantes, mesmo que sejam capazes de riscar qualquer coisa na face da terra? Sabe...’
, e ele a olhava atentamente em silêncio, porque sabia que a garota era um diamante e pela primeira vez viu um risco naquela gema preciosa. E evitou olhá-la mais a fundo, porque agora sabia que a fraqueza dela era ele mesmo.‘...não há muitos diamantes no mundo.’ – ela terminou.


E ele voltou a si e perguntou quase de maneira afirmativa:
_ Mas seu coração já está riscado, não?


‘ é, eu já encontrei um diamante... ’ e desviando o assunto, continuou ‘agora me conta uma coisa que eu não sei'


‘eu sempre soube que você era um diamante. ’


E ela não quis parecer vulnerável, permaneceu então calada: eles ainda estavam ali, lado a lado, um beijo de distância.


‘e agora, pra onde você vai?’ – ele perguntou enquanto levantava.


‘eu vou, apenas vou... sem complemento. ’ ela respondeu displicente.


E ao ouvi-la, sabia que ela estava certa. E ainda estavam lado a lado. Começaram a caminhar em direção ao local que acreditavam ser a saída, ao que ele lhe disse:
_ tudo bem, senhorita andarilha, se você pretende me seguir, saiba que está perdida.


‘ e se eu quiser te acompanhar?’ – ela insitiu.


‘então saiba que está sozinha. ’


Então cada um fez seu caminho, mas ainda assim continuavam lado a lado.


exatamente da maneira como sempre estiveram.
diálogos ébrios em uma tarde de domingo no campus da universidade entre o casal mais estranho que já foi imaginado.

2 comentários:

  1. Nossa!Adorei o jeito que você escreve!Fala de uma forma adolescente sobre você mas escreve muito bem!

    O tempo vai te fazer amar melhor...

    ResponderExcluir
  2. esse aih eh veridico ateh o fim shauishaisuahsiaushia eu sou juvenas mesmo... triste mas verdade \o/

    ResponderExcluir

deixa tua marca