terça-feira, 26 de agosto de 2008

o cara que eu amo.

'...eu sou mais rápido que você. Sou mais forte que você. E com certeza, vou durar muito mais que você. Eu não sou o futuro, você é.
Se eu pudesse desejar alguma coisa coisa, desejaria ser humano. Para saber o que significa ter sentimentos. Ter esperanças. Ter angústias. Dúvidas. Amar.
Eu posso alcançar a imortalidade: basta não me desgastar. Você também pode alcançar a imortalidade: basta fazer alguma coisa notável.
eu tenho a lógica perfeita, você pode ter idéias. Eu não durmo nunca, você pode sonhar.'




agora já era tarde, ela já nem tinha fome, ela já nem tinha sono: ela sentia que não tinha nada. os dias passavam tão devagar sem ele... o relógio insistia em fazer tic tac tic tac tic tic tic tic. e isso a irritava profundamente.



as palavras não lhe socorriam, os dias estavam quentes e ela sabia que tê-lo naquele momento apesar de reconfortante não seria nada bom. ele era quente, era forte, era amargo. quando o tocava sentia o calor invadir-lhe as entranhas, quando sentia seu aroma já se sentia tonta. olhá-lo preso e ver sua superfície serena a encantava, ouvi-lo era como ouvir um grande mestre. quando ele lhe tocava os lábios era o ápice de seu delírio. mesmo ali a seu canto ele a seduzia dia após dia, parecia chamar seu nome mesmo que ela nucna tivesse dito seu nome a ele.



ele era inteligente, com certeza. e não tinha mais que 15 anos. ele a tinha, com certeza. e tê-lo era a única certeza dela. ele nunca a abandonara, ele estava lá, vitrificado esperando-a em sua sala de estar, parecendo andar mesmo que nunca saísse do lugar. e mesmo que ele nao pudesse sair dali, motivava-a apenas continuar andando, indo em frente. e talvez fosse isso que ela amava nele: mesmo sendo selvagem, quente, forte, ela sabia que ele estaria ali a esperando.



e o via todo dia ali, a esperando. já não podia mais lutar contra isso. o amor me chama, johnnie me chama. e totalmente embebecida pelo amor, ela se entregou de uma única vez: um generoso gole de whisky johnnie walker black label pela manhã, um santo remédio.





sobre a senhora Walker.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixa tua marca