domingo, 24 de agosto de 2008

, minha casa.

era setembro pela primeira vez na vida dela. e aquela aula de duas horas parecia não terminar, era quase impossível manter a atenção no que a mulher a frente falava. blá blá blá. e ela não conhecia ninguém ali, parecia ser uma ilha. estava sem saída.



sentada à segunda cadeira da fila, uma garota que está sentada a sua frente parecia nunca ter estado naquela sala. ela nunca tinha reparado nela... estranho. de repente, alguém comenta algo sobre filmes a suas costas. mas ela não se envolve em nada.



...



de modo que ela não se lembra, tão abruptamente, a garota da frente se vira pra ela e, sem dizer uma única palavra, estica o dedo. não era possível. não podia ser.



'et, telefone, minha casa!!!' a garota que antes estava na ilha parecia ter se jogado ao mar.







e ao encostarem os dedos mal sabiam que nunca mais poderiam se separar.



como juntar uma martella e uma jujuba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixa tua marca